ESEP promove projeto focado na qualidade e na segurança dos cuidados de saúde prestados à população
O projeto IP Alliance, promovido pela Escola Superior de Enfermagem do Porto e o projeto Aleph Alliance, do qual a ESEP é copromotor, foram aprovados no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência.
data

A Escola Superior de Enfermagem do Porto apresentou duas candidaturas ao Plano de Recuperação e Resiliência, tendo ambas sido aprovadas no passado dia 5 de novembro.

O IP Alliance – Integrated Platform for Lifelong Learning and Training of Healthcare Professionals and Patients, reúne, pela primeira vez, as três instituições de ensino superior em saúde do Porto, tendo como promotor líder a ESEP e copromotores a Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e a Escola Superior de Saúde.

Este inovador projeto tem como objetivo “garantir a qualidade, a eficácia e a segurança dos cuidados de saúde prestados à população” pela criação de conteúdos interprofissionais, formativos e de simulação, dirigidos a enfermeiros, médicos e técnicos de diagnóstico e terapêutica. Com um financiamento de mais de 2 milhões de euros, permitirá responder ao que a Organização Mundial de Saúde designa por “slow-motion disaster”, isto é, as doenças não comunicáveis.

Por outro lado, o projeto Aleph Alliance – Plataforma para a Saúde Global – Qualificação de recursos humanos em saúde, é um consórcio entre o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto e várias Instituições de Ensino Superior de Saúde, entre as quais a CESPU (promotor líder), a ESEP, a Escola Superior de Saúde da Cruz Vermelha Portuguesa, a Escola Superior de Saúde Santa Maria, o ISAVE e o Instituto de Estudos Superiores de Fafe.

Esta plataforma visa garantir um esforço coletivo e um impulso para a qualificação superior em diversas áreas da saúde e áreas conexas, promovendo a modernização e capacitação dos recursos humanos que intervêm no setor saúde em regiões de Portugal particularmente afetadas pelo contexto social emergente e crise pandémica.

No total, os oito parceiros terão um financiamento agregado de cerca de 5.8 milhões de euros, sendo que a ESEP será financiada em mais de 1 milhão que servirão para a contratação de pessoal docente, técnico-administrativo, requalificação de laboratórios de simulação, auditório e aquisição de equipamentos de simulação de última geração.

Mais
artigos