Sistemas de suporte à decisão clínica na gestão da úlcera por pressão
Esta revisão sistemática teve como objetivo perceber o papel dos enfermeiros que utilizam sistemas de apoio à decisão clínica para o tratamento de úlceras de pressão.
data

O tratamento da úlcera por pressão realizado por profissionais de saúde envolve fases de prevenção, classificação, diagnóstico e tratamento. A implementação na prática clínica de estratégias adequadas de prevenção das úlceras por pressão é imprescindível para a melhoria da qualidade da assistência de enfermagem.

O artigo “Clinical Decision Support Systems for Pressure Ulcer Management: Systematic Review”, publicado na revista científica JMIR Medical Informatics e escrito pelo docente da Escola Superior de Enfermagem do Porto, Paulino Sousa, em coautoria com investigadores da Universidade do Porto pretende, através de uma revisão sistemática, compreender o papel dos enfermeiros que utilizam sistemas de apoio à decisão clínica para o tratamento de úlceras de pressão e esclarecer se a incorporação desses sistemas no fluxo de trabalho melhora a prática clínica da enfermagem e o conhecimento do enfermeiro.

O processo de tomada de decisão clínica no tratamento da úlcera por pressão é complexo e a sua qualidade depende tanto da experiência do enfermeiro quanto da disponibilidade de conhecimento científico. Esse processo deve seguir práticas baseadas em evidências, incorporando tecnologias de informação em saúde, como o uso de sistemas de apoio à decisão clínica. Esses sistemas, além de aumentarem a qualidade da assistência prestada, podem reduzir erros e custos na assistência à saúde. No entanto, a ampla utilização de sistemas de apoio à decisão clínica ainda apresenta evidências limitadas, indicando a necessidade de identificar e avaliar seus efeitos na prática clínica da enfermagem.

Através deste estudo, os autores concluíram que evidências na literatura disponível sobre os efeitos dos sistemas de apoio à decisão clínica (utilizados por enfermeiros) na tomada de decisão para prevenção e tratamento de úlceras por pressão ainda são insuficientes. Os efeitos clínicos, como desfechos na incidência e prevalência de úlceras de pressão, permanecem limitados nos estudos, e a maioria encontrou resultados clinicamente, mas não estatisticamente significativos, na redução das úlceras de pressão.

É necessária a realização de estudos que priorizem a melhor adoção e interação do enfermeiro com os sistemas de apoio à decisão clínica, bem como estudos com amostra representativa dos profissionais de saúde, desenhos de estudos randomizados e aplicação de instrumentos de avaliação adequados ao perfil profissional e institucional.

Mais
artigos