Financiamento

Perinatal Mental Health and Birth-Related Trauma

Ao contrário de outras situações traumáticas, o trauma perinatal ou relacionado com o nascimento / parto é ainda relativamente pouco estudado. As evidências sugerem que cerca de 30% das mulheres descrevem a sua experiência de parto como traumática. As meta- análises realizadas mostram que o transtorno de stress pós-traumático (PTS) afeta 4% das mulheres após o nascimento e até 18% das mulheres em grupos considerados de alto risco. Em 2016, 5,11 milhões de crianças nasceram na Europa. As evidências apontam para a possibilidade de 1,5 milhões de mulheres poderem ter tido experiências traumáticas e mais de 200.000 poderem ter desenvolvido processos de PTS.

O trabalho desenvolvido nesta presente Acção Cost tem duas finalidades principais. A Ação estabelecerá uma rede internacional multidisciplinar de investigadores, profissionais de saúde, ONGs e PME tendo em vista consolidar e disseminar evidências atuais e coordenar esforços conjuntos para desenvolver formas de prevenir, minimizar e tratar traumas relacionados com o nascimento, contribuindo para gerir aspetos emocionais e psicológicos. Por outro lado, pretende-se traduzir o novo conhecimento em boas práticas que podem ser compartilhadas nas instituições de saúde e na comunidade.

Unidade de acolhimento
Objetivos

  • Caracterizar as experiências das mulheres após um parto traumático e a prevalência de Stress Pós-Traumático (PTS);
  • Examinar os preditores clínicos e comportamentais da ocorrência de Stress Pós-Traumático (PTS) numa amostra de mulheres após um parto traumático;
  • Investigar a relação entre várias formas de enfrentamento cognitivo, ruminação, PTG e os componentes da qualidade de vida
  • Investigar a possibilidade de diferentes eventos traumáticos poderem ter diferentes impactos na sintomatologia pós-traumática, dependendo do tipo de evento;
  • Avaliar a eficácia de um Programa Integrado de Intervenção em pessoas com Stress Pós-Traumático, decorrente de um parto traumático.

Equipa de investigação

Investigadores Europeus

Wilson Correia de Abreu
Investigador responsável

Alexandrina Cardoso
ESEP

Paula Prata
ESEP

Figen Inci
Turkey

Gozde Gokce
Turkey

Gill Thomson
UK

Ernesto Gonzalez
Spain

Irena Bartels
Estonia

Kristiina Uriko
Estonia

Olga Riklikiene
Lithuania

Investigadores Brasileiros

Paula Renata Soares
UFC

Luciana Leal
UFP

Ana Karina Pinheiro
UFC

Cleide Maria Pontes
UFP