Estudo analisa a perceção de docentes brasileiros sobre as fragilidades e potencialidades na formação de enfermeiros gestores
Uma das potencialidades identificadas é a necessidade de introdução dos estudantes de enfermagem nos cenários de prática clínica para que haja uma aproximação com as equipas multidisciplinares.
data

A liderança na enfermagem representa uma competência por meio da qual o enfermeiro procura influenciar e motivar a sua equipa para alcançar objetivos e metas que favoreçam o atendimento das necessidades dos utentes. Os enfermeiros precisam de desenvolver habilidades relacionais que facilitarão a gestão de conflitos, a gestão de pessoas e de suprimentos materiais, bem como o processo de tomada de decisões clínicas e gestoras. Sendo assim, é fundamental incentivar o desenvolvimento da liderança ainda durante o processo de formação, para que os futuros enfermeiros possam estar mais seguros e aptos para exercê-la. 

A formação de gestores em enfermagem precisa de ser discutida como aspeto prioritário no meio académico e, para isso, é necessária a ampla participação dos docentes como mediadores e fomentadores de oportunidades aos estudantes de enfermagem, para que estes possam, além de expandir os seus conhecimentos teóricos, exercitar o seu potencial de liderança.

O artigo “Fragilities and potentialities in the training of nurse-leaders”, publicado na Revista Gaúcha de Enfermagem pela docente da Escola Superior de Enfermagem do Porto, Maria Manuela Martins em coautoria com Simone Coelho Amestoy[1], Letícia de Lima Trindade[2], Gilberto Tadeu Reis da Silva[3], Patrícia Alves Galhardo Varanda[4] e Adriana Reis dos Santos[5], pretendeu identificar a perceção de docentes brasileiros sobre as fragilidades e potencialidades na formação de enfermeiros gestores.

Na realização deste estudo, de abordagem qualitativa, do tipo descritiva e exploratória, realizada na Escola de Enfermagem de uma universidade pública do Estado da Bahia participaram 36 docentes e os dados foram obtidos entre fevereiro e agosto de 2017.

Os autores do estudo concluíram que a formação é um dos principais alicerces do desenvolvimento da liderança. No que se refere às fragilidades que permeiam o ensino da gestão, emergiu a necessidade de assegurar a transversalidade da temática ao longo da formação. No Brasil, este estudo analisou o entendimento dos enfermeiros sobre o ensino da liderança na formação e o seu exercício no ambiente hospitalar. Os participantes reconheceram como positivo o suporte teórico disponibilizado pelos docentes de enfermagem, mas mencionaram a necessidade de incluir uma abordagem transversal da liderança ao longo da formação dos estudantes de enfermagem.

Concluíram ainda que, as fragilidades encontram-se nas dificuldades em oferecer um ensino transversal da liderança, no qual essa competência poderia ser desenvolvida no decorrer da formação, bem como em práticas educativas ainda vinculadas à educação tradicional.

[1] Universidade Federal do Vale do São Francisco

[2] Universidade do Estado de Santa Catarina

[3] Universidade Federal da Bahia

[4] Universidade Federal da Bahia

[5] Universidade Federal da Bahia

Mais
artigos