Perceção do trabalho desenvolvido pelos enfermeiros gestores
Estudo avaliou o processo de construção e validação de uma escala para a mensuração da perceção do trabalho realizado por enfermeiros gestores.
data

A aquisição de competências por parte dos enfermeiros que pretendam tomar parte ativa na gestão dos serviços de saúde é uma das premissas do Mestrado em Direção e Chefia dos Serviços em Enfermagem da ESEP.

Num mundo, onde as instituições de saúde estão cada vez mais próximas de uma gestão empresarial, colocam-se alguns desafios aos enfermeiros, no sentido de se adquirir competências para enfrentar estas mudanças, bem como de se demonstrar que a atividade é um valor positivo para a organização.

Nas últimas décadas, a atividade dos enfermeiros gestores tem sido estudada e, ao mesmo tempo questionada se, este trabalho de gestão deve ser desenvolvido por um enfermeiro dotado de competências acrescidas e avançadas para tal ou se poderá ser desenvolvido por um outro profissional, especialista na área da gestão.

O artigo, “Construção e validação de um instrumento de perceção do gestor” publicado pelas docentes da ESEP Maria Manuela Martins e Olga Ribeiro, em coautoria com outros investigadores, na Revista de Enfermagem UFPE pretende, através de um estudo quantitativo, descritivo, metodológico, acompanhado por uma revisão da literatura, descrever o processo de construção e validação de uma escala para a determinação da perceção do trabalho realizado por enfermeiros gestores.

Foi aplicado um questionário a 372 enfermeiros que desenvolvem a sua atividade na área da gestão em hospitais públicos e privados de Portugal continental, no período de janeiro de 2017 a julho de 2018. Dos enfermeiros que participaram, 67,5% eram mulheres e 79,2% tinham uma especialidade, sendo as especialidades mais representadas a Enfermagem médico-cirúrgica (31,8%), seguida da Enfermagem de reabilitação (22,1%) e a Enfermagem comunitária (15,4%).

Sobre a análise fatorial, as autoras concluíram que a escala tem propriedades psicométricas adequadas, revelando o potencial para a utilização em futuros estudos na área da gestão em Enfermagem. Concluíram ainda que, é necessário continuar a estudar as atividades específicas dos enfermeiros gestores, identificando as necessidades dos mesmos para se melhorar as suas competências.

Mais
artigos