Qualidade dos cuidados de enfermagem: diferenças em hospitais de Portugal e Turquia
Este estudo pretende analisar a perceção dos enfermeiros acerca das atividades que contribuem para a qualidade dos cuidados de enfermagem em serviços hospitalares portugueses e turcos
data

Produzir conhecimento científico que sustente as práticas de gestão nos contextos de saúde, no sentido de contribuir para a aquisição de novas competências, ajudando os profissionais de saúde a lidar com as novas realidades e desafios é uma das premissas do projeto POGE, desenvolvido pela ESEP, pela Escola Superior de Saúde de Santa Maria e pelo Centro Hospitalar do Baixo Vouga.

A assistência em enfermagem, realizada de forma autónoma e com os profissionais de saúde, é fundamental para garantir a qualidade da assistência prestada. Atualmente, discute-se a importância de diferentes estratégias para a melhoria da qualidade dos serviços de saúde nas agendas de diferentes países. No contexto dos diferentes serviços de saúde, evidencia-se o papel fundamental da Enfermagem na definição de padrões de qualidade.

O artigo “Quality of nursing care: differences in hospitals from portugal and from turkey”, publicado na Revista Cogitare Enfermagem, pelos docentes da Escola Superior de Enfermagem do Porto, Maria Manuela Martins, Carlos Vilela e Olga Ribeiro, em coautoria com outros investigadores, tem como principal objetivo analisar a perceção dos enfermeiros acerca das atividades que contribuem para a qualidade dos cuidados de enfermagem em serviços hospitalares portugueses e turcos.

Este estudo, realizado entre agosto de 2017 e março de 2018, envolveu 211 enfermeiros e concluiu que, embora em algumas atividades não tenham sido identificadas diferenças significativas entre os enfermeiros de ambos os países, verificou-se que a média obtida em Portugal é superior à da Turquia, em atividades como: referenciar situações problemáticas identificadas para outros profissionais; responsabilidade pelas decisões que tomam, pelos atos que praticam e delegam no planeamento de alta de clientes; na otimização das capacidades e cuidados do cliente quanto à terapia prescrita. Por outro lado, os enfermeiros turcos apresentaram médias superiores na perceção das atividades relacionadas com a continuidade no processo de prestação de cuidados de enfermagem; no uso habilidoso do sistema de registo de enfermagem e, no conhecimento das políticas do hospital.

Os autores deste estudo concluíram que as perceções dos enfermeiros, mesmo em países diferentes, demonstram um perfil profissional específico que reforça a utilidade da conceptualização nesta área do conhecimento como um contributo para o bem-estar e promoção da saúde dos indivíduos.

Mais
artigos